Brasília – Tesourinha e temporal

  Valéria del Cueto Agosto de 2006 Saí da Ponta, deixei o Leme. Larguei o Rio… Não se assuste. É só por um tempo, afirmo corajosamente tentando convencer a você e a mim. Troquei de cenário. Estou em Brasília! Foi uma virada e tanto. Só me dei conta do tamanho da guinada lá pela oitava volta numa tesourinha da cidade. […]

Na luta é que a gente se encontra

Na luta é que a gente se encontra Texto e foto de Valéria del Cueto para o Alexandre… Dias antes do incêndio do Museu Nacional, no Rio de Janeiro, estive num lugar que, por analogia, me fez sentir ainda mais o desastre imensurável para a história, a cultura e a ciência brasileira. Cerro Corá fica […]

Balança do tempo

Balança do tempo  Texto e fotos de Valéria del Cueto Bora lá que está enrolado fazer esse texto. De vez em quando é assim. Algumas vezes falta assunto. Mas, no caso, o problema é outro. Excesso de possibilidades. A coisa se complica quando houve uma promessa de ir numa linha e a vida te leva […]

Medidas compensatórias

Medidas compensatórias Texto e foto de Valéria del Cueto Vivendo e aprendendo. Inclusive a não prometer o que não sei se vou poder cumprir. Na última passada nesse espaço, com a crônica “Logo ali”, jurava que seria capaz de fazer você, leitor, acompanhar as etapas da viagem a Mato Grosso do Sul, fronteira com o […]

Morro do Paxixi

Morro do Paxixi Texto e foto de Valéria del Cueto Ainda falta falar de algumas coisas do meu belo Mato Grosso, o do Sul. Então, vou começar pelo princípio. A partida foi promissora. Subindo, num final de tarde, o Morro do Paxixi, na ponta da serra de Maracaju. Tração nas quatro rodas, o sol desenhando as […]

Outras memórias pantaneiras

Outras memórias pantaneiras Texto e foto de Valéria del Cueto Perdi as palavras diante dos sentimentos. Muitos. Profundos. Emocionantes. Até especialistas em se expressar, coisa que sempre busquei nas mais diferentes “mídias”, se calam quando tudo é pouco diante dos fatos e os diversos graus de sensações que provocam. Voltei ao meu belo Mato Grosso, aquele […]

É santo e de casa…

Texto e foto de Valéria del Cueto “Quem é que vai comprar aquilo?” especula a moça da barraca ao lado, do alto de sua cadeira de praia para o grupo de amigas que usufrui o sol da Ponta do Leme. São eles, o sol e a Ponta, que me atraem. Minhas tábuas de salvação. Referências, […]

Galinha morta

Galinha morta Texto e foto de Valéria del Cueto Não andou de diligência, mas passeou de carroça e trem com banco de madeira. Atravessou São Paulo de Bauru a Campo Grande, desembarcou em Aquidauana e tomou trecho de estradas sem asfalto até Ponta Porã. Imagine cair em Pedro Juan Caballero: dois países e uma linha, […]

A arte de “realizar”

A arte de “realizar” Texto e foto de Valéria del Cueto Se alguém me dissesse que estaria olimpicamente escrevinhando no caderninho numa segunda-feira chuvosa, em plena agência bancária esperando as quinze pessoas que estão na frente para ser atendida em um dos caixas? Diria que, sem dúvida, isso é um delírio. Igual aos da cronista […]

Falando nela

Falando nela Texto e foto de Valéria del Cueto Saí pensando nela, uma crônica da janela. Porque só dela (e nem sempre) é possível olhar a vida passar em relativa, mas não absoluta segurança. Para quem se distrai desenhando letras, imaginando sóis, reflexos e silhuetas, desligada do entorno pulando de ideias sem prestar atenção no […]