Depois do amanhã

Depois do amanhã Texto, foto de Valéria del Cueto Estamos no ponto mais alto do triplo mortal carpado no trapézio. Sem rede de proteção. A distopia é aqui na porta ao lado. Quem somos nós para reconhece-la dentro do nosso próprio quadrado? Entramos no segundo mês do ano. Como se o carnaval, já cancelado na prática, […]

Quem me navega

Quem me navega Texto, foto e vídeo de Valéria del Cueto Ah… querida cronista voluntariamente recolhida em sua almofadada cela do outro lado do túnel. Cada vez compreendo mais sua atitude tão fora do comum na ocasião. Nosso conhecimento vem daquela época quando – lembro bem – Eike Batista orgulhosamente ancorava seu iate na Enseada de […]

Alto risco

Alto Risco Texto, foto e vídeo de Valéria del Cueto Troco as pontas que tanto amo, a do Leme e do Arpoador. Esclareço aos mais recentes chegados às leituras do Sem Fim que são elas, na orla carioca, os lugares que mais gosto quando penso em falar da vida. Para isso estendo a canga, estico o […]

Quem vem lá?

Quem vem lá? (Esta crônica é inspirada e dedicada à querida Ísis Barros que, como eu, acredita em sapos!) Texto e foto de Valéria del Cueto Hoje o assunto é a bicharada, mas não a da Flotropi. A que me cerca nesse isolamento da Covid-19. Bem aqui, na quebrada da Bulhões, quase Sá Ferreira, em […]

Afinal, quem nunca?

Afinal, quem nunca? Texto, foto e vídeo de Valéria del Cueto Preparei o espírito, montei o kit praia (SQN) e tomei rumo. Não, não é sexta-feira, mas me dei folga. Assim, relativa, já que cá estou. Na escrevinhação. Desci com tudo (pensava eu) para a rua e subi saltitante a ladeira da Bulhões de Carvalho. […]

Nepotismo natural

Nepotismo natural Texto e foto de Valéria del Cueto Hoje somos só nós. Vocês e eu. Caneta, caderninho e a que aqui escreve. Três por uma, a crônica. Numa ponta, pra variar. Na sexta a tarde, pra firmar. Sem fantasia. A caminho subi a rua do Posto 6 em direção ao Arpoador já pensando no conteúdo da prosa. […]

Não está fácil pra ninguém

Não está fácil pra ninguém Texto e foto de Valéria del Cueto Duas coisas me fazem sacar o caderninho que uso para registrar as crônicas. A primeira é a paz na terra na beira de um mar que não pode ser um qualquer. Essa “saída o corpo”, mesmo no cenário paradisíaco que frequento, ultimamente na ponta do […]

Quase no escuro

Quase no escuro Texto e foto de Valéria del Cueto Cronista amiga. Perdi a lua. Segui a rua que não tem mais fim. É assim que a banda toca. Desafinada e crua. Mais nua que a fresta da janela gradeada da sua cela. A que te observa, sem luz ou energia. Sinto muito pela ausência, […]

A arte de “realizar”

A arte de “realizar” Texto e foto de Valéria del Cueto Se alguém me dissesse que estaria olimpicamente escrevinhando no caderninho numa segunda-feira chuvosa, em plena agência bancária esperando as quinze pessoas que estão na frente para ser atendida em um dos caixas? Diria que, sem dúvida, isso é um delírio. Igual aos da cronista […]

Falando nela

Falando nela Texto e foto de Valéria del Cueto Saí pensando nela, uma crônica da janela. Porque só dela (e nem sempre) é possível olhar a vida passar em relativa, mas não absoluta segurança. Para quem se distrai desenhando letras, imaginando sóis, reflexos e silhuetas, desligada do entorno pulando de ideias sem prestar atenção no […]