Só dá Lalá(u)

ET Vila 130120  146 geral torre masi aberta

Texto e foto de Valéria del Cueto

A gente rema, rema e morre na praia! Escrevo ouvindo por um site de notícias a transmissão ao vivo da eleição do novo presidente e da mesa diretora do Senado Federal.

Uso um site de notícias por que a TV “Senada”, bancada por nós contribuintes, simplesmente não dá conta do recado. Pagamos caro por um serviço que, assim como outros no país, é apenas uma caricatura grotesca do que deveria ser. Transcrevo a resposta da própria Agência Senado, via twitter ao meu apelo por um link que não dê numa página em branco: “@delcueto aqui funciona normalmente. Pode ser que a rede não esteja conseguindo atender ao grande número de acessos”. Pode parecer irônico, mas não é. É vergonhoso.

Depois de acompanharmos o julgamento do Mensalão pelo site do Supremo Tribunal Federal e pelo hangout  GRATUITO do Google, é inaceitável que o Senado não consiga fazer chegar ao povo brasileiro, democraticamente, as opiniões, posições e motivos que levarão os senadores brasileiros a conduzir à presidência da casa um membro que já renunciou a este mesmo cargo. Como disse o líder do governo, senador Eduardo Braga, do Amazonas, “o maior partido do país tem o direito de indicar o presidente da casa”.

A gente compreende a pequeneza do maior partido brasileiro. Aceitar a imposição da imoralidade é outra história, contestada pelas centenas de milhares de assinaturas de cidadãos brasileiros que pediram que Renan não fosse o presidente do Senado Federal por meio de petições públicas! Por que temos vergonha na cara, decência, moral e ética.

E, se os votantes escolhem um “camarada” capaz de usar o dinheiro público para bancar com notas frias sua filha fora do casamento, lamento, mas dane-se a maioria.

A denúncia do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, ao Supremo Tribunal Federal (STF) é clara: pelos crimes de falsidade ideológica, uso de documentos falsos e peculato. Se acatada, Calheiros passará da condição de investigado à de réu. Quanta honra, quanta dignidade…

Quem anda no trilho é trem de ferro, sou água que corre entre pedras: liberdade caça jeito…. Pedro Taques, o senador em que votei e honrosamente me representa, candidato da oposição, cita Manoel de Barros e mais, um dos maiores brasileiros que tive a honra de conhecer: Darci Ribeiro…

“Fracassei em tudo o que tentei na vida.
Tentei alfabetizar as crianças brasileiras, não consegui. Tentei salvar os índios, não consegui.
Tentei fazer uma universidade séria e fracassei.
Tentei fazer o Brasil desenvolver-se autonomamente e fracassei. Mas os fracassos são minhas vitórias.
Eu detestaria estar no lugar de quem me venceu”.

Darci pode ter fracassado em muitas coisas, mas sua memória é honrada no meu templo de trabalho. Chama-se Sambódromo Darci Ribeiro, a passarela do Samba carioca. Obra feita por ele e Leonel Brizola. Aquele, lembram?

Com o fim da palhaçada,(desculpa ae, Tiritica, por usar em vão o termo que designa uma categoria tão especial)  vamos ao carnaval que, afinal, é assunto sério!

*Valéria del Cueto é jornalista, fotógrafa e gestora de carnaval. Essa crônica faz parte da série “É Carnaval”,  do SEM FIM… delcueto.cia@gmail.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s