Farol da alma

FAROL-DA-ALMA-WEB10/02/2006

É daqui mesmo, da Ponta do Leme que vos falo. E confesso sem o menor pudor, que aqui me encontro em busca de consolo, ou conforto… Amanheci assim.

Del Cueto, meu pai, diz que quando a gente está com aquele mau humor crônico é por que está com chulé na alma. Pois bem, estou com neblina na alma. A razão não vem ao caso, nem mesmo precisa existir.

Ela, a neblina que aqui se espalha, é daquelas brabas que deixa a gente tateando, sem ver um palmo na frente do nariz. Me esforço, faço o possível para transparecer minha alma e desinstala-la o mais rapidamente possível.

Nada melhor do que meu ponto, na Ponta do Leme, para aqui abrir as janelas da minha alma e deixar o vento fresco invadir meu dia que está apenas começando.

Pois é, a coisa é séria. Tão séria que me fez acordar muito cedo. Quem me conhece sabe que este costume não faz parte da minha rotina. Cedo pra mim é oito e meia da manhã, esclareça-se.

E não reclamem nem se espantem os desavisados. Explico: como trabalho no computador, normalmente prefiro a calma das madrugadas, se as interrupções normais do dia a dia, como telefone(s) campainhas, compromissos e tarefas para me concentrar. Por isso, vou madrugada adentro numa rotina normalmente solitária e compensadora.

Que, infelizmente, não alivia meu estado d’alma.

A praia é a minha, mas com outros personagens, graças ao horário matinal. Em cima do mar uma bruma quase impede de ver as ilhas no horizonte. São nove e meia da manhã. Pra muita gente, é tarde. Daqui a pouco a paisagem muda.

A água permanece fria demais. O mar está transparente, mesmo com a chuva que caiu durante a madrugada. Talvez tenha sido ele, o mau tempo, que esqueceu a neblina na minha alma. 

E aí está o gatilho para mudar a cor do meu dia. Se a chuva não deixou marcas aparentes no dia seguinte por que vou deixar que a umidade trazida por ela permaneça dentro de mim?

Mais um mergulho, outra esticada e a decisão: sempre é hora de começar um novo dia. Vou esperar o sol secar meu corpo, voltar pra casa, tomar uma groselha e dormir no sofá. Tenho certeza que daqui a umas duas horas acordarei novinha em folha. Pronta para (re) começar mais um dia de verão. 

Neste novo dia, virei novamente à praia, no meu horário costumeiro ver o show dos surfistas e do pessoal de body boarding, Eles fazem um espetáculo diário no entardecer perfeito para ser apreciado por quem se recupera de um mau tempo passageiro que se perderá entre tantas boas lembranças da Ponta do Leme.

Até lá e um bom dia pra você.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s