NOITE DO DIVINO

de Valéria del Cueto

junho de 2005

Cheguei em plena comemoração, no jantar de encerramento da Festa do Divino. Na Praça Alencastro, ao lado da Catedral, em frente a Prefeitura, centro de Cuiabá. Numa noite agradável de domingo, reencontrei parte da minha vida mato-grossense. 

 No caderno de anotações, onde ia escrevendo nomes, celulares e endereços eletrônicos de gente que eu não via há algum tempo, a primeira é Laurença. Ela levou Lourenzo Falcao e eu para a mesa do imperador da festa e fez maravilhosamente as honras da casa. Ainda me deve as medalhinhas do Divino prometidas, mas eu confio que um dia elas apareçam.  A lista prossegue com Lúcia Palma, de cabelos curtos, de quem me desencontrei no dia seguinte (o que acabou atrapalhando meus planos de ir assistir a aula de seu grupo de contadores de histórias, na UFMT), e  para quem fico devendo a visita.

 Dona Leila, o sorriso de boas vindas que me recebeu na ante sala do governador Júlio Campos, no dia em que cheguei a Cuiabá pela primeira vez, em 1984. João Marinho, amigo querido e companheiro dos tempos da Secretaria de Imprensa da Assembléia Legislativa. Também vem de lá meus encontros com o colunista Carlinhos Alves. Uma pena que, desta vez, não pude saborear a comida maravilhosa feita por ele. Uma perda irreparável em minha estada em Cuiabá.

 Vi Gilberto Nasser, com quem trabalhei em algumas campanhas, Valdir Bertúlio e Vera Capilé, faceira como ela só (com toda razão) por que vai para a França cantar acompanhada por uma viola de cocho. Não é que a filha já está nesta vida de teatro?

próximo nome relacionado é o de Ricarte de Freitas. Estávamos juntos quando o prefeito Wilson Santos veio nos cumprimentar. Logo depois chegou Malu de Souza. Querida de sempre. Trabalhei com ela na TV Brasil Oeste / Bandeirantes. Acabei entendendo o aproveitamento do material que eu mando no site da AMM. Daí, foi a vez do Adão e do Aléssio, colegas do plenário legislativo. Mais especificamente do aquário dos jornalistas, onde o cotidiano do estado era passado diariamente por, digamos, uma peneira fina. Afinal, eram horas e horas de sessões atrás de sessões na presença da nata jornalística do estado.

 Os estandartes que rodeavam a praça anunciavam os nomes das famílias tradicionais de cada barraca com mesinhas na frente. Os Candia, os Figueiredos, os Campos… Dezenas delas. Cada uma com sua comida mais caprichada que a outra. Me disseram que Terezinha Thompson estava na barraca dos Campos, mas não consegui chegar lá para vê-la.

Numa das mesas, estavam João Carlos Vicente Ferreira e Eleonor Cristina. Ele, Secretário Estadual de Cultura. Ela, Eleonor, pelo menos para mim, que adoro este nome. Estão lá, no centro da efervescência cultural do estado. Mas não adianta, a ficha ainda é do tempo em que fazíamos os primeiros vídeos do projeto Memória Viva, na Fundação Júlio Campos: Várzea Grande, Jaciara e Campo Verde.

 fecho de ouro foi rever Osvaldo Sobrinho e Dilsa. Osvaldo foi dos meus primeiros entrevistados quando estava chegando na TV Centro América, em junho 1984. Era uma matéria sobre garimpo no velho Hotel Mato Grosso, na Comandante Costa. Só me lembro que, de cara, bati de frente com ele. Quis me dar uma versão do conflito. Só que eu queria ouvir os garimpeiros. Ficamos amigos, muito amigos. E apesar de, algumas vezes, discordar de suas opiniões sempre respeitei sua visão e fiz questão de ouvir suas posições e argumentos.

 Saí dali certa de que minha estada em Cuiabá, onde estive para apresentar o projeto de mais um desdobramento da expedição  “História Sem Fim… do rio Paraguai” ia ser um sucesso. A proposta é montar uma exposição multisensorial em Cáceres, Poconé, Barão de Melgaço e, claro Cuiabá. Extraída dos registros de imagens, desenhos, audios e sons que recolhemos na viagem pelo rio paraguai de Cáceres a Corumbá. A proposta foi inscrita no Edital do Fundo Estadual de Cultura.

Mas isso já é outra história… Vamos ficar por aqui, agradecendo ao Divino, que me permitiu estar ali, sob o céu estrelado da Praça Alencastro, cercada de amigos, sentindo um prazer imenso de poder voltar…

 Festa-divino-ESPIRITO-santo-02

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s